Party time! Part I

Novembro sempre foi mês de festa em casa. Afinal, três aniversários seguidos trazem bastante agitação. Dia 1º, comemora meu irmão. Dia 10 era dia de bolo de pão de ló rechado de pêssegos em calda e coberto com chantilly (o preferido do meu pai). E dia 22, vem o dia mais lindo: meu dia!

Bem, já é o segundo ano que não temos o bolo de pêssegos, o que ainda dói muito. Um jeito de melhorar isso é celebrar melhor os dias 1º e 22.

Esse ano, meu irmão amado completou 40 anos.  A idéia inicial da minha mãe era fazer o básico, só pra família e bem “sabor da infância”: sanduíche de carne desfiada e outras guloseimas. Entretanto, como ele havia recém operado o joelho e estava meio que “de molho”, se animou a convidar amigos. Então, resolvemos preparar algo temático. Como esfihas estavam praticamente definidas, seguimos adiante com a idéia de comida árabe.

Uma pena que nada foi fotografado, mas ficou bem bacana: esfihas, homus, babaganuche, coalhada seca, quibe assado, um tabule improvisado…

Pros meus ?? anos, a comemoração foi dobrada. Dia 21, almoço pra família toda. Como entrada, resolvi dar uma inventada e preparei um “salada de cassoulet”.

Depois, moqueca baiana com pirão, arroz branco e farofa. Ficou faltando a foto. No final, ao invés de bolo, pudim de doce de leite e brigadeiros – esses últimos feitos com chocolate em pó, manteiga, um toque de conhaque e passados em chocolate de verdade, ao invés de granulado de gordura.

Sobre o cardápio do dia 22, conto no próximo post.

Deixe uma resposta